Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude

Departamento de Comunicação   18/10/2017 | 14h25

MÚSICA NA PRAÇA RECEBERÁ O CONCERTO “VIVA PIXINGUINHA” NO DIA 21 DE OUTUBRO

Big Band e Grupo de Choro se apresentam no Projeto Música na Praça.

MÚSICA NA PRAÇA RECEBERÁ O CONCERTO  “VIVA PIXINGUINHA” NO DIA 21 DE OUTUBRO

Neste sábado, dia 21 de outubro, às 11h, na Praça da Matriz, mais uma parceria entre a Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude da Prefeitura de Tatuí e o Conservatório: a apresentação da Big Band e do Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí, com o concerto “Viva Pixinguinha”, no projeto Música na Praça.

            No repertório, arranjos originais do homenageado, considerado um dos maiores compositores da música brasileira. Gênio incontestável, o compositor, instrumentista, arranjador e maestro Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixinguinha, nasceu no Rio de Janeiro em 23 de abril de 1897. De acordo com o Instituto Moreira Salles, o seu pai, Alfredo da Rocha Vianna, funcionário dos Correios, era também flautista amador e promovia reuniões em casa com músicos renomados da época. O menino acompanhava tudo de perto e logo se encantou pela carreira. Conta-se que o apelido Pizindim (cujo significado seria “menino bom”) foi dado pela avó africana ou por uma prima chamada Eurídice. Acredita-se que Pixinguinha seja derivado da mistura desse apelido com “Bexiguinha”, pois, quando criança, ele teve a face marcada pela varíola, doença chamada popularmente de bexiga.

O coordenador da Big Band do Conservatório de Tatuí, Celso Veagnoli, conta que o arquivo pessoal de Pixinguinha está sob a guarda do Instituto Moreira Salles desde 2000 – um acordo com a família do músico. O acervo traz documentos pessoais, medalhas, troféus, recortes de jornal, fotos, roupas, gravações realizadas por seu filho Alfredo da Rocha Vianna Neto e a flauta utilizada pelo músico durante muitos anos. De todo o acervo, destaca-se um lote de, aproximadamente, mil conjuntos de partituras com arranjos feitos por ele. Segundo a biografia do compositor, em 1946, o radialista Almirante levou Pixinguinha para a Rádio Tupi, onde produziram um programa que marcaria a carreira de ambos: “O Pessoal da Velha Guarda”. Almirante era redator e apresentador da atração, enquanto Pixinguinha criava os arranjos.

Alguns destes arranjos, transmitidos ao vivo no programa entre janeiro de 1947 e março de 1952, foram selecionados para o repertório deste concerto da Big Band e do Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí. São eles: “Gaúcho”, “Assim é que é”, “Ferramenta”, “Conversa Fiada”, “Cabeça de Porco”, “Fecha carrança”, “Subindo ao Céu”, “Água do Vintém”, “Capenga não forma” e “Concerto de Bateria”, além do grande sucesso do compositor, “Carinhoso”.

 

SAÚDE

Saúde
Médicos nos Postos de Saúde

Horários:

GIA e SPED